X

Noções de Mecânica Veicular de 02 e 04 Rodas

MENU

Mecânica

O automóvel desempenha um papel muito importante na vida das pessoas, como meio de transporte eficiente. Para que ele cumpra sua finalidade, é imprescindível que você o conheça bem e o conserve em perfeita ordem. Para isto você precisa saber o mínimo necessário para a devida manutenção e boa conservação de seu veículo. Todo veículo merece um mínimo de cuidado para que o mesmo tenha economia de combustível, bom desempenho, durabilidade, conforto e principalmente segurança.

Tipos de Construção de Automóvel

• Modelo convencional 
Tem como base o Chassi, que neste caso funciona como um alicerce do carro, sendo montado sobre ele a suspensão, o motor e a carroceria.

• Monobloco ou Integrado
Forma um bloco único. Nos veículos modernos a indústria automobilística preocupada com a segurança dos ocupantes dos veículos desenvolveu a chamada carroceria com deformação progressiva. Neste sistema a estrutura do carro é previamente projetada com pontos de deformação, para absorver e distribuir uniformemente a força no caso de batida antes que ela atinja a cabine e posteriormente os ocupantes.

Motor

• Motor de combustão interna.
É uma máquina que transforma a energia térmica da queima dos combustíveis em movimento mecânico.

• O Núcleo Central
O motor de combustão interna divide-se em três partes que são:
1 - Cabeçote
2 - Bloco
3 - Cárter

No Cabeçote
Destacamos válvulas de admissão e escapamento, câmara de compressão e três galerias para passagem de água, óleo e mistura.

Bloco
A maior peça dos motores servindo de base de apoio e sustentação para os demais componentes e órgãos anexos.
É composto de cilindro, pistões, anéis, biela, árvore de manivela (virabrequim), volante de equilíbrio com cremalheira, etc..
O bloco possui ainda duas galerias para passagem de água e óleo.

Cárter
Peça de chapa estampada, utilizada como depósito de óleo nos motores e também para fazer a selagem da parte inferior do motor.

 

Os Quatro Tempos de Trabalho de um Motor são:

1 - Admissão: O motor admite a mistura para o cilindro, estando a válvula de admissão aberta e a de escape fechada.

2 - Compressão: O pistão começa a voltar para o ponto morto alto, estando a válvula de admissão e escape fechadas, assim sendo, a mistura é comprimida.

3 - Ignição ou Explosão: Estando o pistão no ponto morto alto, ocorre a ignição ou queima dos gases, forçando o pistão para o ponto morto baixo.

4 - Escape: O pistão volta ao ponto morto alto, a válvula de escape se abre expelindo os gases queimados.

Os motores que utilizam o diesel como combustível também são motores de combustão interna, nos quais o combustível injetado na câmara de combustão se inflama no ar admitido após este ter sido altamente aquecido por meio de compressão.

Os Órgãos Anexos

São chamados de Órgãos Anexos todos os componentes que trabalham em conjunto com o motor, os quais veremos abaixo:

1. Sistema de Alimentação

2. Sistema de Distribuição

3. Sistema de Ignição

4. Sistema de Lubrificação

5. Sistema de Arrefecimento

• Sistema de Alimentação:
- Objetivo: Assegurar a formação da mistura (ar+combustível) e enviar aos cilindros.
- Composição: Tanque, bomba de combustível, filtros, tubulações, carburador, controle, etc...

Obs.: Nos veículos modernos temos um sistema de alimentação controlado eletronicamente por uma centralina que emite o combustível diretamente no cilindro, substituindo o carburador, chamado de Injeção Eletrônica.

• Características do Sistema de Injeção Eletrônica:
- Alta precisão na dosagem de combustível
- Boa partida a frio e a quente
- Corte de combustível durante a desaceleração
- Controle de emissão de poluentes

• Sistema de Distribuição
- Objetivo: Distribuir a mistura preparada aos cilindros e expelir os gases queimados.
- Composição: Árvore de comando de válvulas, coletores de admissão e escapamento e válvulas.

• Sistema de Ignição
- Objetivo: Fornecer no tempo e espaço premeditado a centelha para a queima da mistura nos cilindros.
- Composição: Chave de ignição, bateria, bobina, velas, distribuidor, condensador, platinado, rotor, etc.

No sistema de Ignição Eletrônica o platinado é substituído por um gerador de impulso que recebe estes impulsos e transmite à bobina, a corrente de ignição.

• Sistema de Lubrificação
- Objetivo: Evitar o desgaste das peças que se atritam com o funcionamento do motor.
- Composição: Bomba de óleo, cárter, válvula reguladora, tubulações, controles e óleo.

Obs.: No sistema de lubrificação temos que observar 2 aspectos.

1 - Quanto a forma de lubrificar:
a. Por bomba (pressão)
b. Salpico
c. Imersão (mergulho das peças)

2 - Quanto aos lubrificantes:
a. Líquidos (óleos)
b. Pastosos (graxas)
c. Sólidos (grafite)

• Sistema de Arrefecimento
- Objetivo: Reduzir o excesso de calor produzido ou gerado pelo funcionamento do motor.
- Composição:
a. Arrefecimento a ar: Ventoinha, cobertura metálica, alhetas, radiador a óleo e controles.
b. Arrefecimento a àgua: Radiador de água, bomba d’água, hélice, válvula termostática, galerias, mangueiras e controles.

Nos veículos modernos existe o sistema de arrefecimento chamado “circuito fechado” em que os vapores são reaproveitados em um compartimento auxiliar, com isto tornam-se raros os problemas neste sistema.

Outros Sistemas

Sistema Elétrico

- Objetivo: Gerar, armazenar e distribuir a energia aos consumidores do veículo.
- Composição: Alternador, motor de partida (arranque), bateria, cabos, controle, etc.

• Sistema de Transmissão
- Objetivo: Transmitir o movimento rotativo do motor até as rodas motrizes.
- Composição: Embreagem, caixa de mudanças (câmbio), eixo de transmissão (cardan), diferencial e semi-árvore, etc.

Sistema de Suspensão

- Objetivo: Absorver as vibrações originadas pela irregularidade das pistas.
- Composição: Amortecedores, molas, barra estabilizadora, etc.

• Sistema de Direção
- Objetivo: Dar ao veículo a direção desejada pelo motorista.
- Composição: Volante de direção, coluna de direção, caixa de direção, barras, terminais, etc..
Alguns veículos são equipados com sistema de direção hidráulica, que torna a direção mais leve, confortável e segura.

• Sistema de Freios
- Objetivo: Reduzir ou eliminar a velocidade do veículo, e não permitir que um veículo parado se ponha em movimento.
- Composição: Pedal de freio, cilindro principal, lonas de freio, discos, pastilhas, etc.
• Sistema de Freios ABS

Pneus e Rodas

O bom estado dos pneus proporciona boas condições de deslocamento do veículo, como também aumenta a segurança. Para que os pneus desempenhem bem suas funções, tome os seguintes cuidados:

• Calibre-os periodicamente  (aproximadamente a cada 15 dias e antes de uma viagem).
• Submeta-os sistematicamente a rodízios, de acordo com o especificado.
• Substitua-os quando a banda de rodagem estiver com profundidade inferior à 1,6 mm.
• Faça rodízios  dos Pneus a cada 10.000 km.

Além de trocar o óleo e checar o fluido de freio e a água do radiador, há outra lição de casa que ajuda a manter seu carro em ordem: o rodízio dos pneus. Se ele for feito a cada 10.000 km, os cinco pneus podem rodar 60.000 km antes da troca por novos. O rodízio além de evitar o desgaste da borracha, deixa a suspensão equilibrada. O serviço é rápido (é só trocar as rodas de lugar) e barato. Se o seu carro passou dos 20.000 km e você nunca deu bola para o revezamento não adianta querer recuperar o atraso. O desgaste dos pneus já estará muito desigual.

Os pneus novos não dispõem de imediato de sua máxima capacidade de aderência, tornando necessário nos primeiros 100km conduzir o veículo com velocidade moderada e prevenção até os mesmos adquirirem a devida garra.

• Equilíbrio das rodas:
As rodas do veículo devem ser submetidas à balanceamento na medida em que forem desequilibradas pelo uso. Com o balanceamento elimina-se o desgaste da direção, da suspensão e principalmente dos pneus.

• Alinhamento das rodas:

O alinhamento das rodas evita o desgaste unilateral dos pneus proporcionando maior durabilidade e segurança.

NEWSLETTER

Cadastre seu e-mail e receba em primeira mão as atualizações de nossas aulas.

Site desenvolvido por: